IndicarIndique este portal FavoritarAdicionar aos favoritos
Notícias

Câncer de mama pode ser facilmente diagnosticado no início com pequenos cuidados

Postado em 09/10/2017.

O Sindcont-SP apoia o Outubro RosaUm dos maiores medos que afetam as mulheres de todo o mundo é o Câncer de Mama, doença invasiva que pode ser devastadora caso o diagnóstico não seja feito no início do problema. Entretanto, exames simples e periódicos podem ajudar a mulher a perceber que algo pode estar errado em seu organismo.

De acordo com informações do Instituto Nacional de Câncer - Inca, são detectados cerca de 60 mil novos casos de câncer de mama por ano no Brasil. Aproximadamente 15 mil mulheres morrem por causa da doença todos os anos. O Inca estima que, do início de 2016 até o final de 2017, sejam diagnosticados quase 58 mil novos casos no país.

O que é a doença

O oncologista Dr. Carlos Alberto Reis Freire, do Hospital San Paolo, explica que o Câncer de Mama é o nome dado a um ou mais nódulos, formados por células que se multiplicam descontroladamente, que podem aparecer nas mamas. Como o número de células vai aumentando, o tamanho do nódulo aumenta progressivamente. Algumas células podem se desprender do nódulo e se deslocar para outras partes do corpo da mulher, formando as chamadas “metástases”.

“Não existe uma causa específica para a doença, mas existe sim uma série de fatores que podem facilitar o seu aparecimento. Sabemos, por exemplo, que há uma relação entre o consumo progressivo de bebidas alcoólicas e o risco de aparecimento de câncer de mama. O risco em mulheres que ingerem mais de três doses de bebidas alcoólicas/dia é maior que o dobro do risco em mulheres que não o fazem. Também está bem estabelecida a relação entre dietas ricas em gordura e obesidade e o risco de câncer de mama. Da mesma forma, está a vida sedentária e a falta de exercícios”.

De acordo com o médico, mulheres que começaram a menstruar muito jovens e que demoraram para entrar na menopausa têm maior risco, bem como as que nunca tiveram filhos ou o tiveram já com mais idade, geralmente acima dos 30 anos.  

“Existem mulheres com um risco muito grande de terem câncer de mama (geralmente com outras mulheres na família que tiveram câncer de mama quando muito jovens, geralmente antes dos 30 anos). A alteração genética mais comum em tais mulheres é uma mutação nos genes BRCA1 ou BRCA2, detectada por exame laboratorial”.

Mamografia

O oncologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, Agnaldo Anelli, conta que um levantamento realizado pelo IBGE em 2013 revelou que 40% das mulheres, entre 50 e 69 anos de idade, em todo o Brasil, não realizaram mamografia nos dois últimos anos anteriores à pesquisa. “Por conta disso, infelizmente, no Brasil, a maioria dos diagnósticos é realizada em fases avançadas da doença”.

Nos casos de doença na família, é importante iniciar o acompanhamento médico ainda jovem. “A mamografia é apenas indicada para mulheres com mais de 50 anos, mas, antes disso, é possível realizar a ultrassonografia das mamas. O exame de imagem detecta se há lesões suspeitas e, caso alguma alteração seja encontrada, será necessário realizar biópsia do tumor, assim como fazemos com a mamografia,”, esclarece Anelli.

Com base no diagnóstico, o especialista vai indicar o tratamento mais assertivo. “A Medicina tem evoluído muito, aumentando as chances de cura e proporcionando mais bem-estar aos pacientes. Cirurgicamente, as terapias minimante invasivas, recomendadas para os casos iniciais, permitem abordagens curativas com excelente resultado estético. Do ponto de vista sistêmico, cerca de 20 novas drogas se tornaram disponíveis nos últimos 15 anos para o tratamento do câncer de mama. Mesmo assim, para um bom prognóstico, o mais recomendado é o acompanhamento anual com o médico e a realização da mamografia”, finaliza.

Autoexame

Para detectar a doença no seu início, a mulher deve ficar atenta a sinais o aparecimento de nódulos; secreções no bico do seio; lesões na auréola, como descamação ou pequenos machucados que não cicatrizam; além de caroços nas axilas detectados fora da rotina anual de check-up. Esse autoexame pode ser feito até mesmo durante o banho: ao passar o sabonete, levante os braços e apalpe tanto os seios quanto as axilas. Se encontrar um caroço estranho, procure o seu médico. 

Uma dica: evite fazer essa verificação enquanto estiver menstruada, pois o corpo passa por uma série de mudanças hormonais neste período, deixando essa região muito mais sensível.

Sindcont-SP Cidadania

Para contribuir com a conscientização de seus Associados, demais Profissionais da Contabilidade e também a sociedade acerca de relevantes assuntos e também de estreitar os vínculos com estes públicos, o Sindicato dos Contabilistas de São Paulo – Sindcont-SP criou o programa Sindcont-SP Cidadania. Por meio de ações sociais, culturais e educacionais, a Entidade engaja-se no apoio a importantes iniciativas, como os cuidados no combate a doenças transmitidas pelo mosquito aedes aegypt, consumo consciente de água e a prevenção aos cânceres de mama e de próstata, por meio das campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul, respectivamente.

 

Visite-nos no LinkedIn! Curta nossa página no facebook!



Texto: Katherine Coutinho
Fotos: Eros Casabranca
Edição: Lenilde De León

De León Comunicações