IndicarIndique este portal FavoritarAdicionar aos favoritos
Notícias

Sabia que várias doenças podem ser transmitidas por meio do beijo?

Postado em 14/02/2018.

Você sabia que o beijo transmite várias doenças? Embora oficialmente encerrado nesta quarta-feira de Cinzas (14), o Carnaval voltará às ruas no próximo final de semana, o que aumenta as chances de rolarem muitos beijos na boca, não é mesmo?! Que ótimo, mas calma lá! Junto com a folia vem também a poderosa temporada de contágio oral. Para não ter medo de se divertir, separamos algumas doenças transmitidas em um inocente beijo na boca e que fazer para diminuir seus riscos de contágio. Os perigos mais comuns são:

– Mononucleose: a mononucleose, apelidada de Doença do Beijo, é causada pelo vírus Epstein-Barr, que se aloja na região da amígdala. Geralmente aparece em jovens de 15 a 25 anos. E uma vez que você já a pegou, não a contrairá de novo.

Seus principais sintomas podem ser confundidos com os de uma virose qualquer: febre alta, dor de garganta, de cabeça, musculares e ínguas, segundo a infectologista Eliane Iokote, da Beneficiência Portuguesa. Também pode aparecer vermelhidão pelo corpo. A má notícia é que a mononucleose não é uma doença que dura apenas dois ou três dias. Às vezes, você pode sentir os sintomas por até por até três semanas e ficar "derrubado", precisando descansar.

            O vírus também se aloja em algumas células do fígado e do baço, um órgão frágil. “Se a pessoa melhora um pouco e já quer pular, pode romper o baço", alerta Celso Granato, infectologista do Fleury Medicina e Saúde. Apesar de o rompimento ser raro, é indicado ficar 15 dias de repouso. São usados remédios que combatem os sintomas. Ou seja, se o paciente está com dor no corpo, tomará um analgésico, e assim por diante.

            Diminuir a quantidade de pessoas que você beija é mesmo a melhor maneira de terminar o Carnaval sem ficar contaminado, já que o vírus pode ser transmitido mesmo após um ano do contágio. 

 – Sapinho

A doença com nome simpático trata-se de uma micose. "É causada por um fungo chamado Candida albicans. Ela vive na pele e em mucosas, alimentando-se de substâncias encontradas no corpo, sem provocar nenhum tipo de dano’’, explica o cirurgião-dentista Diego Borrajo. Porém, quando o nosso sistema de defesa apresenta algum tipo de falha, os fungos conseguem se reproduzir com maior facilidade, provocando uma variedade de lesões. Aparecem inúmeros pontos brancos, escamosos, semelhantes a pedaços de queijo, que cobrem a língua, as gengivas, a parte interna das bochechas e, às vezes, os lábios

            Os remédios indicados são, na maioria, antifúngicos. Para poupar incômodos, é bom não beijar se você tiver feridas nos lábios, aftas ou sangramento nas gengivas. Motivo: machucados são porta de entrada para essa e outras doenças. 

 – Herpes: a boa notícia é que a herpes pode ter seus sintomas visíveis. A pessoa geralmente apresenta bolhas pequenas e doloridas na região dos lábios. Se notar que a boca do possível parceiro está assim, dê um perdido nele e busque outra pessoa para beijar na folia. "Mais de 96% das pessoas têm sorologia positiva para herpes. No entanto, não se sabe por qual razão. às vezes, ela se manifesta em algumas pessoas e não em outras", diz Ricardo Cantarim Inacio, infectologista do Hospital Santa Cruz. 

            A transmissão pode ocorrer mesmo quando o portador não possui lesão aparente e certas situações geram reações no organismo que permitem a reativação do vírus. "Entre elas estão tomar muito sol, a menstruação - devido aos ciclos hormonais - e o estresse", afirma Granato. O tratamento é simples: uma pomada ou um comprimido receitado pelo médico, que faz o diagnóstico clinicamente.

 

 

Visite-nos no LinkedIn! Curta nossa página no facebook!



Texto: Dr. Diogo Vilela, profissional da rede Dr. Sorriso
Fotos:
Edição:

Comunicação Sindcont-SP