IndicarIndique este portal FavoritarAdicionar aos favoritos
Notícias

Educação a distância: como funciona o aprendizado fora da sala de aula

Postado em 08/05/2018.

Já pensou em aprender coisas novas sem precisar ir a um lugar específico? Entender o que mudou com a Reforma Trabalhista enquanto se desloca para o trabalho ou para casa é uma das grandes vantagens da Educação a Distância, mais conhecida pela sigla EAD. Esta modalidade de ensino foi criada para atender à demanda de quem não consegue se deslocar para uma sala de aula física, seja por falta de tempo ou por morar em uma região que não tenha muitas instituições de ensino.

Neste aspecto, a tecnologia se tornou uma grande parceira no desenvolvimento da educação tanto de jovens quanto de adultos, possibilitando a transmissão de aulas online ou mesmo a reprodução de conteúdo gravado, além de formulários de prova e ebooks ao alcance de um click.

Para explicar melhor este assunto, o Sindicato dos Contabilistas de São Paulo – Sindcont-SP conversou com a conselheira da Associação Brasileiro de Educação a Distância – ABED, Ivete Palange.

Ainda há o preconceito de que cursos EAD são menos eficazes do que os presenciais? 

Cada vez mais, o preconceito com a educação a distância vai se tornando algo do passado.

Com as tecnologias de informação e comunicação, a interação entre os diversos atores da educação (professores e alunos) é possível independente da distância física entre eles e mesmo em tempos diferentes.

A comunicação é possível tanto de forma síncrona - quando os atores estão online - como assíncrona, quando a comunicação é realizada em tempos diferentes pelos envolvidos.

Além disso, a legislação não faz distinção entre diplomas obtidos por modalidades de ensino diferentes.

Para os recrutadores de empresas, hoje, o mais importante são as competências demonstradas pelos profissionais, independente se eles as adquiriram em cursos presenciais ou a distância. 

Há um percentual de quanto aumentou a oferta de cursos à distância nos últimos anos?

Segundo um relatório de pesquisa do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep de 2016 a participação da educação a distância em 2006 era de 4,2% do total de matrículas em cursos de graduação, aumentando, em 2016, para 18,6%, o que representa 1,5 milhão de estudantes cursando uma graduação a distância em 2016. Em 2006, esse número era de apenas 207.206 alunos (aumento de 620%). O total de estudantes no ensino superior em 2016, em instituições públicas e privadas, era de 8 milhões. A mesma pesquisa revela que o número de matrículas em cursos de graduação presenciais diminuiu 1,2% entre 2015 e 2016. Na modalidade a distância, o aumento nesse mesmo período foi de 7,2%.

O Censo EAD.BR 2016 contabilizou 561.667 alunos em cursos regulamentados totalmente a distância, 217.175 em cursos regulamentados semipresenciais, 1.675.131 em cursos livres não corporativos e 1.280.914 em cursos livres corporativos.

São números expressivos e revelam o potencial da EAD para atender a demandas regulamentadas de educação e, mais ainda, demandas de formação continuada.

 Quais cuidados o estudante deve tomar quando for escolher um curso a distância?

Os cuidados para a escolha de um curso a  distância são os mesmos que se tem para a escolha de cursos presenciais. É importante saber se a instituição que está oferecendo o curso é idônea. Em caso de cursos como cursos técnicos e de graduação, é importante saber se as insituições têm o reconhecimento do MEC (para isso é necessário entrar no site do MEC e verificar se a instituição escolhida tem seus cursos aprovados). Há cursos a distância que são cursos livres e que não dependem de aprovação do MEC, como cursos de atualização ou de aperfeiçoamento. Nesse caso é necessário conhecer melhor a instituição que está oferecendo o curso.

É importante saber quais os suportes que o curso oferece,  como suporte pedagógico - se o aluno tem dúvidas a quem ele se reporta e em quanto tempo ele obtém a resposta, suporte técnico, caso haja problemas de acesso ao site, ou a materiais existentes, a quem o aluno deve se reportar. É importante saber quem são os responsáveis do curso (quais os profissionais que desenvolveram, se são conhecidos na área, etc.). Como cada um de nós tem uma forma melhor de aprender é importante conhecer quais os recursos didáticos disponíveis no curso. São apenas textos ou há também simuladores, vídeos, animações etc.

Conhecer a metodologia (se os alunos interagem no curso, se há atividades individuais e em grupo e etc.) e as formas de avaliação.  Saber se os materiais didáticos podem ser baixados ou o acesso é apenas online. Pois, se puder “baixar” os materiais poderá estudar mesmo que esteja offline e em caso contrário apenas se estiver online.

Conversar com ex-alunos também ajuda bastante. Eles podem dizer como foi realizar o curso, os pontos positivos e negativos, sem que tenham qualquer interesse. 

Grande parte do resultado que será obtido com uma qualificação é de responsabilidade do estudante, variando de acordo com o seu interesse em aprender mais. Como um aluno pode otimizar a obtenção de informações que ele terá por meio de um curso a distância? 

Um aluno de EAD pode buscar informações complementares junto aos docentes a partir de questões ou inquietações com o conteúdo abordado. Além disso, pode interagir por meio das ferramentas de comunicação com os colegas, trocando experiências e informações. E ainda há a possibilidade de ele mesmo buscar novas informações, partilhar e discuti-las com os docentes e colegas. Aprender a aprender é uma das contribuições da educação a distância. 

Qual é o perfil de um aluno que de dará bem com atividades a distância e quais são as características de quem não deve se adaptar a esta modalidade?

Muitos buscam a EAD porque acreditam que seja mais fácil, o que é um grande engano. Um bom aluno de cursos a distância tem autonomia, é disciplinado, organizado e tem interesse em aprender. O desejo de aprender algo depende de uma motivação interna e algumas características podem favorecer a aprendizagem como acessar o curso diariamente, entrar em contato com docente e companheiros para criar um clima de pertencimento ao curso e vencer o isolamento, cumprir a agenda do curso (entrega de exercícios e tarefas) Buscar ajuda quando necessitar junto a colegas e professores e ser solidário, também, ajudando a quem precisa. Quem ensina também aprende.

 

O Sindcont-SP também oferece cursos a distância. Atualmente, o Profissional da Contabilidade pode participar, de onde ele estiver, de capacitações sobre: eSocial – Regras de Envio das Informações Trabalhistas; Planejamento Tributário; e Análise das Demonstrações Contábeis. Conheça nossas oportunidades de atualização profissional!

 

Visite-nos no LinkedIn! Curta nossa página no facebook!



Texto: Katherine Coutinho
Fotos: Divulgação
Edição: Lenilde De León

De León Comunicações