Notícias

No Dia Internacional da Mulher, contadoras debatem mercado de trabalho no Sindcont-SP

Postado em 11/03/2019.

Mais do que rosas e chocolates, as mulheres querem direitos iguais. Por isso, o Sindicato dos Contabilistas de São Paulo – Sindcont-SP realizou, na última sexta-feira (8), um painel sobre “A Evolução Feminina com Integração Social”.

O evento foi realizado em parceria com o Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo – CRCSP e com o Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo – Sescon-SP.

“Atualmente, segundo dados do Conselho Federal de Contabilidade – CFC, o público feminino representa mais de 42% dos profissionais da Contabilidade. Ao todo, são 224.361 mulheres contabilistas em plena atividade. Só em São Paulo, são mais de 42%. Então não podemos ou devemos deixar de ouvir o que estas profissionais, tão importantes para o fortalecimento da profissão, têm a dizer”, salientou o presidente do Sindcont-SP, Antonio Eugenio Cecchinato.

O painel foi conduzido pela empresária contábil e diretora Social da Aescon-SP, Ana Maria Galloro Laporta. Também participaram da conversa a presidente do CRCSP, Márcia Ruiz Alcazar, a social selling da DMS Digital Marketing, Denise Maia Soares, e a manager da Financial Services da KPMG Brasil, Fernanda Moreira.

“Este é um dia para fortalecer todas as conquistas que tivemos até aqui. Para avaliarmos esta evolução até o ano de 1962 a mulher só podia trabalhar com o consentimento do pai ou do marido. Se hoje eu pude escolher a minha formação, esta livre escolha é resultado da luta das nossas antecessoras. A mulher pode estar onde ela quiser. E pesquisas apontam que nos próximos cinco anos, o número de homens e mulheres na Contabilidade será equivalente e, em mais cinco anos, as mulheres ultrapassarão em números o público masculino atuando na profissão”, contou Márcia Ruiz Alcazar que, ao fim, recebeu um certificado de participação no evento entregue pela vice-presidente Financeira do SESCON-SP, Terezinha Anneia. 

Denise Maia Soares salientou que uma grande questão da mulher enquanto profissional é a maior resistência e insegurança delas na hora de pedir aumento ou tentar uma vaga em comparação aos homens. “Minha mãe levou meu currículo na IBM, porque eu não acreditava que fosse conseguir uma vaga. E consegui. Quando completei meus 50 anos de idade, fiz uma consultoria em recolocação profissional. Eu não me imaginava empreendedora, após 30 anos trabalhando em multinacionais, mas abri meu negócio e cresci. Hoje sou uma das poucas pessoas com certificações importantes para a minha área de trabalho. O vice-presidente do Sindcont-SP, Geraldo Carlos Lima, homenageou a especialista com um diploma de participação no painel pela brilhante exposição. 

Fernanda Moreira, por sua vez, compartilhou uma experiência que muitas mulheres vivenciam: a dificuldade em administrar relacionamento e carreira. “Quando me propus a estudar, eu já era casada. Sou carioca, mas mudei para São Paulo há anos. Eu não tinha dinheiro pra pagar a faculdade e meu marido era contra o meu ingresso no bacharelado. Mas lutei, arrumei um emprego e pedi ajuda ao reitor da faculdade onde estudava. Ele me deu bolsa de 60% por alguns meses. No terceiro ano, ganhei bolsa integral. Até que passei em um trainee na KPMG, que do quarto ano pra frente pagou a minha faculdade. Estou lá há 17 anos e minha vida mudou. Por isso, acredito que todo mundo deveria ser contador”. A expositora ganhou das mãos da diretora-secretária do Sindicato, Teresinha Maria de Brito Koide, um certificado pela particiação no painel.

Novidade

Uma conquista compartilhada pela presidente do CRCSP foi a possibilidade de poder se identificar, em sua carteira profissional, como contadora.

“Antes, em nossas carteiras profissionais, só havia a possibilidade de assinarmos como contador, mesmo  sendo mulheres. Agora, não mais. Eu já recebi a minha carteira com a identificação de contadora e todos os profissionais podem solicitar tanto a adequação de gênero quanto o uso do nome social”, contou Alcazar.

Diploma de Mérito Contábil – Mulheres Contabilistas

Durante as festividades do Dia Internacional da Mulher foi feita uma homenagem especial à contadora Marina Kazue Tanoue Suzuki , que recebeu das mãos do presidente do Sindcont-SP, Antonio Eugenio Cecchinato, o Diploma de Mérito Contábil – Mulheres Contabilistas . A profissional é bacharel em Ciências Contábeis, diretora Suplente do Sindcont-SP nas gestões 2014-2016,  2011-2013 e na atual gestão 2017-2019. Além disso, foi presidente do Centro de Estudos e Debates Fisco-Contábeis do Sindcont-SP na gestão 2012; e fundadora e coordenadora do Grupo de Estudos de Tributos e Demais Obrigações do Sindcont-SP desde 2011.

Marina Suzuki já é detentora da Medalha “Professor Luiz Fernando Mussolini”,  recebida em 2015. Esta Medalha foi criada para homenagear profissionais que tenham concorrido para o prestígio, fortalecimento e enaltecimento do Centro de Estudos e Debates Fisco-Contábeis.

A profissional contábil tem vivência em escritórios contábeis atuando nas áreas fiscal e contábil. Por oito anos trabalhou na Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo. Atualmente é a coordenadora Contábil na Organização Consultoria Contábil  Itamarathy Kohatsu Limitada.

Apresentada por seu amigo Milton Medeiros, Marina Suzuki agradeceu a todos que a ajudaram a vencer os obstáculos em sua carreira, em especial a timidez, que a incomodava muito, a ponto de pedir para que as pessoas fizessem as perguntas por ela no Centro de Estudos.

“Eu terceirizava as perguntas por medo de ir à tribuna. Os meus colegas de atividade e amigos me fizeram vencer essa timidez e me fortaleceram como profissional. Sou grata a eles e a esta Entidade, que tanto tem me ajudado neste caminho”, disse Marina.

Ao final do evento, foi sorteado um kit de beleza da Hinodê entre as participantes.

Visite-nos no LinkedIn! Curta nossa página no facebook!



Texto: Katherine Coutinho
Fotos: Katherine Coutinho
Edição: Lenilde De León

De León Comunicações